Os cientistas desenvolveram um dispositivo vestível que usa o calor do corpo como uma bateria, transformando-o em eletricidade, de acordo com o ‘Euronews’.

Os corpos humanos mantêm uma temperatura constante de cerca de 37 graus Celsius para permitir que as reações químicas que mantêm as pessoas vivas aconteçam. Mas este não é um processo particularmente eficiente e muito do calor que geramos é perdido pela pele.

Este novo dispositivo usa geradores termoelétricos para aproveitar a diferença de temperatura entre a  pele e o ar ao redor, transformando essa energia térmica em eletricidade. Criado por uma equipa da Universidade do Colorado Boulder (CU Boulder) nos Estados Unidos, é feito de um material elástico que se ajusta bem à pele e pode ser usado como um anel ou pulseira.

Também é ‘autocurativo’, o que significa que pode reconfigurar-se e corrigir-se conforme a pessoa se move. Se o dispositivo se romper, pode ser comprimido e selado numa questão de minutos.

Atualmente, o dispositivo pode gerar cerca de 1 volt de eletricidade para cada centímetro quadrado de pele. Embora seja menos do que a maioria das baterias, é o suficiente para alimentar algo como um relógio.

Jianliang Xiao, autor sénior do estudo, diz que este novo produto vai permitir que, no futuro, os eletrónicos vestíveis possam ser alimentados sem bateria. “Sempre que se usa uma bateria, vamos esgotá-la e, eventualmente, precisar de substituí-la. O bom sobre o nosso dispositivo termoelétrico é que a pessoa pode usá-lo, pois fornece energia constante”, explicou citado pelo ‘Euronews’.

Durante as atividades ao ar livre, o lado do dispositivo que não absorve o calor do corpo (o “lado frio”) também desvia a radiação solar e aumenta o chamado “arrefecimento radiativo do céu” para torná-lo mais eficiente.

Esse processo arrefece um objeto, permitindo que o calor escape da atmosfera como um comprimento de onda de luz específico para o universo. Princípios semelhantes foram usados ​​no passado para criar painéis solares capazes de gerar eletricidade à noite.

A equipe da CU Boulder afirma que os materiais com os quais essa tecnologia vestível é feita são facilmente recicláveis. Quando terminar de usar o dispositivo, este pode ser colocado numa solução especial que dissolve a base elástica de poliamina e separa os componentes elétricos para que possam ser usados ​​novamente.

Executive IT