Tesla planeia aceitar Bitcoins como pagamento

Tesla planeia aceitar Bitcoins como pagamento

A criptomoeda bitcoin disparou este segunda-feira a novos recordes, acima dos 43 mil dólares, depois de a Tesla lançar uma “dupla-bomba” neste mercado: não só decidiu converter 1.500 milhões de dólares (1.200 milhões de euros) do seu capital em bitcoin como anunciou que está nos seus planos passar a aceitar, “num futuro próximo”, que os seus produtos sejam pagos através desta que é a mais valiosa das criptomoedas.

A compra de bitcoins foi aprovada pela comissão de auditoria da Tesla e foi anunciada, esta segunda-feira, ao mercado – isto dias depois de o líder da fabricante automóvel, Elon Musk, um dos homens mais ricos do mundo, ter dado um impulso à cotação da criptomoeda ao colocar o símbolo da bitcoin no seu perfil de Twitter.

A política que foi aprovada pela empresa prevê que a Tesla venha a “adquirir e conservar [mais] ativos digitais, de tempos a tempos ou numa ótica de longo prazo”. O que está a fazer disparar o preço da bitcoin é, também, a indicação de que “no futuro próximo” poderá ser possível comprar um carro da Tesla (ou pagar outros produtos e serviços da marca) não com recurso a dólares, euros ou outra moeda convencional mas, sim, com bitcoin. Esse é um passo que será dado “no cumprimento da regulação existente e, inicialmente, numa base limitada“.

Tesla planeia aceitar Bitcoins como pagamento

Bitcoin disparou a novos recordes com esta notícia, acima dos 43 mil dólares. FONTE: Coindesk

No comunicado enviado pela Tesla ao mercado, esta segunda-feira, a empresa comenta que “os ativos digitais foram no passado muito voláteis, e poderão continuar a sê-lo, incluindo como consequência de vários riscos e incertezas associados”. Ainda assim, a Tesla considera que se trata de um ativo muito líquido e, por isso, decidiu dar este passo, tornando-se a primeira “gigante” empresarial a fazer um compromisso deste género em relação a uma criptomoeda.

“Já ninguém pode ignorar a Bitcoin. Nem os bancos”, diz português que lidera o primeiro banco de criptomoedas nos EUA

Observador